Doenças de trabalho: quais as principais e o que fazer para evitá-las

10 minutos para ler

As doenças de trabalho são responsáveis, todos os anos, no Brasil, pelo afastamento de milhares de pessoas de suas atividades laborais. Isso tem um impacto significativo na economia pública e também na sustentabilidade das instituições empregadoras.

Isso porque, as empresas precisam arcar com os primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador, além de, em muitos casos, ser necessário substituir a mão de obra para não comprometer as entregas junto aos clientes e parceiros.

Diante desse cenário, a gestão das empresas precisa dar a devida atenção à promoção da saúde e qualidade de vida dos colaboradores, a fim de identificar possíveis riscos e propor soluções para reduzi-los ou eliminá-los.

Ao longo desta leitura você vai conhecer quais são as principais doenças do trabalho e como evitá-las. Acompanhe!

O que são doenças ocupacionais e suas principais causas dentro do ambiente de trabalho?

São consideradas doenças ocupacionais qualquer enfermidade que possa ser associada à profissão e às condições de trabalho às quais o trabalhador é exposto.

As doenças ocupacionais são catalogadas em dois grupos: Doenças Profissionais e Doenças do Trabalho.

A Doença Profissional é aquela onde o empregado é exposto a agentes nocivos, que sejam comuns a todos os demais trabalhadores, ou seja, é inerente a certa atividade (art.20, I da Lei 8.213/91).

São exemplos de doença do trabalho a perda auditiva de serralheiros, causada por ruídos de máquinas, como as motosserras.

Já a Doença do Trabalho é aquela que surge a partir de condições especiais em que a atividade laboral em questão é executada, e com esse trabalho se relaciona diretamente (art.20, II da Lei 8.213/91).

É exemplo de Doença do Trabalho a perda auditiva decorrente de exposição a ruído em local onde trabalha uma analista de Recursos Humanos.

Aqui, a enfermidade é considerada uma Doença do Trabalho, mesmo sem ter relação com a atividade executada, já que a causa não é comum à atividade realizada.

Assim, as principais causas das Doenças do Trabalho estão relacionadas ao ambiente em que o funcionário está inserido, sendo esse o principal responsável pelos agentes nocivos não comuns a todos os empregados que exercem a mesma atividade.

Quais são as principais doenças relacionadas ao trabalho?

Agora que você sabe o que são doenças ocupacionais, veja as principais enfermidades responsáveis pelo afastamento de profissionais do mercado de trabalho. Acompanhe!

LER/DORT

Essas são as lesões por esforço repetitivo e tendinites no ombro ou no pescoço, provocadas por posturas inadequadas ou por movimentos repetitivos à medida que o trabalhador realiza as suas atividades diárias.

Surdez temporária ou definitiva

A perda da auditiva, que pode ser total ou parcialmente, é um problema de saúde que acomete pessoas expostas a ruídos muito elevados ou constantes. A surdez também é estimulada pelo trabalho com alguns produtos químicos, a exemplo dos solventes.

Problemas de visão

O grande número de horas de trabalho em frente ao computador, tablets e smartphones pode causar ou agravar problemas de visão, a exemplo dos olhos cansados, visão turva ou dupla, vermelhidão, perda de foco da visão, entre outros males, também conhecidos como Síndrome de Visão do Computador.

Além disso, ambientes com climatização inadequada podem favorecer o aparecimento de catarata, levando à perda do cristalino e ocasionando a cegueira.

Pressão alta

O estresse no trabalho, um ambiente organizacional ruim, somados a rotinas exaustivas e a uma baixa qualidade na alimentação e ao sedentarismo, favorecem o aparecimento da hipertensão, também conhecida como pressão alta.

Problemas na coluna

Também conhecida como dorsalgia, os problemas na coluna são desencadeados pela má postura no ambiente de trabalho e também pela força demasiada na hora de utilizar o tronco.

Os esforços inadequados para levantar peso, e outros fatores como sedentarismo e obesidade, contribuem para o aparecimento dos sintomas e agravamento da doença.

Doenças psicossociais

Essas doenças são decorrentes de um ambiente de trabalho ruim. De modo geral, são associadas a jornadas abusivas, a um mau relacionamento com a equipe e a atritos com a liderança imediata.

Caso o trabalhador fique exposto por muito tempo a esse tipo de ambiente, ele pode ser acometido por doenças como ansiedade, depressão, e outras enfermidades relacionadas à saúde emocional.

Alergias

Muita gente não sabe, mas as alergias podem ser consideradas doenças do trabalho, principalmente as de pele.

As alergias podem ser desencadeadas por um ambiente de trabalho sujo e que exponha os trabalhadores a riscos, resultando em afastamento do empregado.

Doenças em membros inferiores

Para quem trabalha em pé, a exemplo de guardas e vigilantes, as doenças dos membros inferiores são muito comuns, a exemplo das varizes e tromboses.

Esses males aparecem por causa da pouca movimentação, que pode ser agravada pela obesidade.

Como evitar doenças relacionadas ao trabalho?

Você já deve ter percebido que as empresas têm grande responsabilidade nas doenças de trabalho. Por isso, cabe a elas criar estratégias e meios para minimizar ou eliminar fatores que podem colocar em risco a saúde do trabalhador.

Veja a seguir algumas ações para evitar doenças relacionadas à saúde dos funcionários!

Promova a ginástica laboral

Para prevenir a LER/DORT, a empresa pode investir na ginástica laboral, que são exercícios de alongamentos para todo o corpo, feitos com a orientação de um fisioterapeuta ou educador físico.

Além disso, é importante conceder pequenas pausas para que o colaborador possa descansar das atividades que exerce.

Outra importante medida preventiva relacionada à saúde laboral é disponibilizar um mobiliário que promova uma acomodação eficiente do colaborador para as atividades desenvolvidas em escritórios, como cadeiras ergonômicas, encosto para os pés, suporte para computadores, entre outros.

Incentive a prática de exercícios físicos

A prática diária de exercícios físicos ajuda a combater vários males, a exemplo das lombalgias e também estresse e doenças respiratórias alérgicas.

Além disso, a prática de exercícios físicos libera hormônios da felicidade, que afastam a depressão e outras males relacionados às doenças psicossociais.

Outro benefício importante é que os exercícios ainda ajudam no controle da hipertensão e de outros males como a obesidade.

Invista em equipamentos de proteção individual

O uso dos equipamentos de proteção individual (EPI) deve ser obrigatório para todos os ambientes que ofereçam risco à saúde do trabalhador.

Temos como exemplo os cintos de proteção lombar para trabalhadores que carregam peso, protetores auriculares nos ambientes de muito ruído, máscaras de respiração para ambientes com pó tóxico, calçados de proteção para ambientes úmidos e molhados, entre outros.

Cuide do clima organizacional da empresa

Um ambiente de trabalho saudável, além de colaborar para a atração e retenção dos melhores profissionais, também ajuda a afastar males como depressão e estresse.

Menos atritos também ajuda o funcionário a se sentir menos sobrecarregado, o que colabora para reduzir a estafa mental e outros sofrimentos psíquicos relacionados às atividades laborais.

Realize campanhas de vacinação

À medida que a empresa investe na profilaxia de doenças com a vacinação dentro da empresa, é possível evitar a disseminação de importantes doenças, como sarampo, rubéola, entre outras. A vacinação tem como objetivo diminuir o afastamento temporário do trabalho.

Ofereça um bom plano de saúde

Com um acompanhamento adequado proporcionado pelo plano de saúde, é possível tornar o atendimento ao funcionário mais ágil, proporcionando mais tranquilidade e bem-estar aos trabalhadores.

Além disso, o plano de saúde é um importante aliado para a prevenção não só das doenças ocupacionais, mas também atua com a profilaxia de diversas outras doenças, como aquelas causadas pela idade e também por hereditariedade.

Com a precariedade da saúde pública no Brasil, o plano de saúde é uma segurança para o trabalhador e também para a empresa, principalmente em casos de acidentes de trabalho.

Além disso, contribui para a formação de uma marca empregadora forte, à medida que a companhia demonstra que a organização se preocupa com a saúde e bem-estar de seus trabalhadores.

Ações de saúde ocupacional

Ações de prevenção da saúde ocupacional promovidas por exames médicos periódicos para todos os trabalhadores, se possível, dentro das dependências da própria companhia, é essencial para um melhor acompanhamento do estado de saúde de todos os colaboradores.

Além disso, a saúde ocupacional é uma exigência do Ministério do Trabalho, e é preciso ficar atento às normas para evitar multas.

Quais são os maiores prejuízos que a empresa pode ter com as doenças de trabalho?

A inadimplência com a saúde dos trabalhadores pode causar graves prejuízos. Acompanhe!

Absenteísmo

O absenteísmo é a ausência temporária do trabalho devido às saídas para consultas, exames e faltas abonadas com os atestados médicos.

Quando a equipe fica desfalcada, isso acaba comprometendo todo o planejamento de entrega das atividades, acarretando vários prejuízos tangíveis e intangíveis para a empresa.

Como prejuízo tangível, podemos citar o atraso na produção de algum item. Já o intangível, pode ser a queda da credibilidade da marca com os seus clientes, devido ao atraso na entrega da mercadoria. Isso impacta diretamente na credibilidade da empresa, e esse prejuízo, em longo prazo, pode ser enorme.

Rotatividade de pessoal

Quando as pessoas dentro da empresa ficam doentes com frequência, passa a existir uma alta rotatividade de pessoal. Como consequência, a empresa tem de contratar e treinar outros colaboradores para substituir aqueles que estão afastados, e isso gera grandes custos.

Isso sem falar que ninguém quer trabalhar em uma instituição onde as pessoas ficam doentes, não é mesmo?

Baixa produtividade

Com a equipe desfalcada, fica cada vez mais difícil manter a produtividade e as entregas em dia. Além disso, a pouca disposição causada pelas doenças ocupacionais é outro fator que colabora para a queda da produtividade.

Por isso, é fundamental que a organização esteja atenta para prevenir todos os tipos de doenças ocupacionais. Para tanto, pode apostar em iniciativas de promoção à saúde e bem-estar no trabalho, além de oferecer um plano de saúde adequado e estar atento à saúde ocupacional e à ergonomia, incluindo a visual.

Com uma gestão atenta às necessidades da equipe, e ações que incentivem a promoção da saúde na empresa, fica mais fácil evitar as doenças de trabalho e garantir a sustentabilidade econômica da empresa.

Se você gostou deste artigo sobre doenças de trabalho: quais as principais e o que fazer para evitá-las, confira também este sobre gestão da saúde na empresa.

Posts relacionados

Deixe um comentário