Descubra as principais doenças oftalmológicas e como tratá-las

6 minutos para ler

As doenças oftalmológicas podem aparecer em qualquer período da vida. A visão é um dos cinco sentidos mais importantes, responsável pelo processamento das informações recebidas pelo corpo humano. Por isso, é fundamental cuidar da saúde ocular, já que esses problemas surgem independentemente da idade do indivíduo.

Visitar o oftalmologista com frequência é uma ótima ação de prevenção. Em uma consulta simples, é possível realizar o diagnóstico de doenças a tempo de iniciar um rápido tratamento. Desse modo, evita-se a piora e a evolução do quadro e, em muitas situações, não restam sequelas após o procedimento feito.

Se você deseja conhecer as principais doenças oftalmológicas e como tratá-las, não perca o nosso post. Boa leitura!

Catarata

Considerada uma das causas principais de cegueira no mundo, a catarata é caracterizada pela perda de transparência do cristalino, uma lente natural em que o objetivo é proporcionar o foco da visão em várias distâncias.

Com o avanço da idade, as fibras do cristalino costumam aumentar de diâmetro e espessura. A lente, além de perder a sua elasticidade, torna-se opaca. Aos poucos, a visão fica embaçada até que passa a enxergar somente luzes e vultos, podendo ocorrer a cegueira.

O tratamento da doença é feito por meio da cirurgia, cuja função é substituir o cristalino por uma lente artificial que recupera a função perdida. Além disso, algumas medidas preventivas podem ser tomadas para reduzir alguns fatores de risco para o surgimento da catarata, como parar de fumar, controlar a diabetes e evitar o uso de corticoides.

Glaucoma

O glaucoma é uma condição provocada principalmente por uma elevada pressão intraocular, que causa lesões no nervo óptico e, por consequência, comprometimento da visão. Caso não seja tratado, pode levar à cegueira.

No início do problema, o glaucoma não costuma apresentar sintomas. É por essa razão que o acompanhamento médico regular ajuda a impedir a progressão da doença. Em seu estágio mais avançado, os sintomas dessa patologia são:

  • dores na testa;
  • náuseas e vômitos;
  • olhos vermelhos;
  • visão embaçada;
  • dor forte e súbita em um dos olhos;
  • perda gradual da visão lateral.

Em geral, o tratamento para o glaucoma envolve o uso de colírios, além de ser preciso cuidar das condições de saúde individuais que podem provocar o aumento da pressão, como o controle da diabetes.

Conjuntivite

A conjuntivite é caracterizada por uma inflamação da membrana externa do olho e no interior das pálpebras. Os primeiros sintomas que surgem são a vermelhidão na parte branca dos olhos, a sensibilidade à luz, o lacrimejamento e o prurido.

A inflamação é recorrente, podendo ser crônica ou aguda. Esta última é a forma mais comum, e pode ser percebida por meio de sintomas como sensação de corpo estranho, ardor e comichão. Ambos os olhos podem ser atingidos e a doença costuma ter caráter viral e, portanto, é muito contagiosa.

Assim, é importante ter cuidado no contato direto com o indivíduo infectado ou com algum objeto contaminado. O tratamento consiste em limpar os olhos com soro fisiológico gelado e colocar compressa sobre a pálpebra. O especialista também pode recomendar o uso de um colírio específico ou uma pomada antibiótica.

Retinopatia

A retinopatia é uma condição que afeta pessoas com diabetes, principalmente aqueles que não controlam a glicemia. Por essa razão, existe um aumento da glicose na corrente sanguínea, alterando a parede dos vasos da retina.

Como consequência disso, os olhos apresentam sangramentos e vazamentos. No começo, a doença não costuma manifestar sinais. Contudo, com a sua progressão, o cliente pode se queixar sobre embaçamento e manchas na visão e, sem um tratamento correto, o problema leva à cegueira.

Dependendo da gravidade, é importante fazer cirurgia de vitrectomia, injeções intravítreas e procedimentos de fotocoagulação. No entanto, é possível prevenir a retinopatia a partir de uma visita regular ao oftalmologista, que solicitará um mapeamento de retina. Além disso, quem tem diabetes deve controlar a glicemia para evitar que ela aumente.

Estrabismo

O estrabismo é um problema que afeta o paralelismo entre os olhos, que costumam apontar para direções diferentes. Ele é classificado em vertical, quando esse deslocamento acontece para baixo ou para cima, divergente, quando os olhos se deslocam para fora, ou estropia, quando um ou ambos os olhos se movem para dentro.

Os sintomas da condição variam de acordo com a idade. Nas crianças, os principais sinais incluem dor de cabeça, perda de profundidade e de foco e dificuldade para enxergar. Já em pessoas adultas, a visão dupla também está presente.

Como o estrabismo é mais comum na infância, o ideal é que o tratamento se inicie o mais rápido possível, pois a possibilidade de cura é maior. Além disso, é fundamental que os pais levem a criança a um oftalmologista para verificar se existem outros problemas que afetam a visão. Em adultos, o tratamento consiste no uso de óculos ou de cirurgia para a correção.

Degeneração macular

A mácula é a região central da retina, responsável pela visão detalhada e nítida. A degeneração macular é um distúrbio relacionado ao envelhecimento, caracterizado pela formação de pequenos depósitos amarelados sob essa região. Esses depósitos são conhecidos como drusas e podem fazer com que a mácula se torne ressecada e fina, determinando a perda de nitidez na visão.

No entanto, a degeneração pode evoluir para a forma úmida da patologia, consistindo no crescimento de uma membrana com vasos sanguíneos anormais embaixo da mácula. Eles incham, se rompem e formam uma cicatriz permanente que danificam a vista, causando distorção das imagens, manchas no campo visual e embaçamento das cores e luzes.

O tratamento da doença consiste em parar de fumar, reposição de vitaminas e minerais e, na forma mais grave, utiliza-se injeções intraoculares.

Agora que você já conhece as principais doenças oftalmológicas, lembre-se de manter bons hábitos de vida e consultar um oftalmologista com frequência para manter a saúde dos olhos. Além disso, no momento de visitar um profissional, opte por uma clínica bem conceituada, como aqui na VisionCard, que conta com consultas mais baratas com seus parceiros.

Gostou do post? Quer saber quais são os tratamentos feitos em nossa clínica? Então, entre em contato conosco. Será um prazer respondê-lo!

Visioncard: saiba como utilizar um sistema de gestão de saúde online
Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.