Guia completo sobre os principais indicadores de RH para acompanhar

12 minutos para ler

Assim como outros indicadores de desempenho, os indicadores de RH são como uma bússola para guiar os gestores na tomada de decisão e permiti-los posicionar a empresa em relação às suas metas e objetivos.

Deixar de acompanhar as métricas relativas à gestão de pessoal é desconsiderar a relevância das pessoas para os resultados alcançados pela empresa. Assim, é fundamental não apenas medir como monitorar índices como rotatividade, retenção de talentos, headcount e absenteísmo. Eles dizem muito sobre como as políticas organizacionais funcionam na prática.

Por isso, elaboramos um guia sobre o assunto, para você entender definitivamente quais são os principais indicadores de RH e como acompanhá-los. Acompanhe!

O que são indicadores de RH?

Indicadores são ferramentas para auxiliar a gestão de uma empresa ou um departamento a medir e analisar resultados. A partir deles é possível definir parâmetros e traçar metas tanto para componentes objetivos quanto subjetivos. Assim, os indicadores de RH são as métricas cujas finalidades estão relacionadas aos empregados.

Embora a área de recursos humanos não gere receita, é responsável pelo gerenciamento de um dos principais ativos de uma empresa, o capital humano, uma grande vantagem competitiva perante o mercado.

Os indicadores de RH cumprem funções bem claras, ajudando a gestão de uma empresa a mensurar, por meio de seus colaboradores, os processos operacionais e as metas institucionais.

Existem inúmeros indicadores de RH e a escolha sobre quais acompanhar envolve uma série de fatores como o número de funcionários, quantas unidades a empresa tem, quão complexas são suas operações e os objetivos de negócio.

Na hora de definir os melhores indicadores para o RH da sua empresa, considere que eles serão determinantes para as ações futuras, tanto no sentido de otimizar a tomada de decisão quanto de facilitar o dia a dia.

Qual a importância de acompanhar?

Assim como o sucesso de um departamento de vendas ou área de marketing está diretamente ligado ao acompanhamento de suas métricas, seja para diagnosticar falhas e pontos de melhoria, seja para identificar oportunidades de ação, o mesmo vale para a gestão de recursos humanos.

Acompanhar as principais métricas traz informações vitais para o gerenciamento do capital humano, incluindo insights para melhorias e o aproveitamento de todo o seu potencial. Eles são como uma bússola que direcionam a gestão de pessoas na organização, contribuindo para o crescimento da empresa.

Além disso, acompanhar os indicadores e, consequentemente, monitorar os resultados é a melhor forma de garantir que o planejamento traçado esteja sendo cumprido, bem como minimizar e corrigir os possíveis erros que possam ocorrer nas estratégias de trabalho.

Quais são os principais indicadores de RH e como acompanhá-los?

Agora que você já sabe o que são e a importância de definir e acompanhar indicadores de RH, chegou a hora de conhecer os mais importantes. Confira!

Satisfação dos colaboradores

Trata-se de um indicador extremamente relevante e que pode afetar outros, como o absenteísmo e a rotatividade. Garantir o bem-estar dos funcionários é essencial para melhorar resultados e aumentar a produtividade, o engajamento e até a inovação.

É exatamente por causa desse indicador que as empresas investem cada vez mais em gestão de saúde, por exemplo. Mas como medir um parâmetro tão subjetivo?

Para calcular o índice de satisfação dos colaboradores, crie um questionário que contemple estas questões:

  • Qual é o seu nível de satisfação com o local de trabalho?
  • Quão próximo seu trabalho está de um trabalho ideal?
  • Como está o seu nível de satisfação em relação às suas expectativas?

Cada colaborador deve atribuir pontos, de 1 a 10, a essas questões, sendo 1 o nível de satisfação mais baixo e 10 o mais alto. Então, o índice deve ser calculado pela fórmula abaixo, e o ideal é que o resultado fique acima de 66.

{ [ ( Soma dos pontos de todas as respostas ÷ 3) – 1] ÷ 9 } x 100

Retenção de talentos

Diretamente ligado à rotatividade e ao tempo médio de empresa, o índice de retenção de talentos visa avaliar colaboradores que são identificados como potenciais candidatos a futuras oportunidades, dentro e fora da organização, e a capacidade da empresa em retê-los. Esse indicador mostra a eficiência das políticas direcionadas à formação desse banco de talentos.

A avaliação se dá pelo desempenho e pelos resultados obtidos por esses profissionais, podendo ser calculado o índice para cada setor, o que possibilita identificar departamentos problemáticos e solucionar as questões que levam talentos a abandonar a empresa.

Nesse sentido, as principais medidas para reter talentos em uma empresa são investir em treinamento e desenvolvimento, manter políticas de remuneração atualizadas, fazer uma boa gestão de benefícios e acompanhar métricas.

Desempenho

O desempenho das equipes é um indicador primordial em cada setor, no entanto, é fundamental para o RH ter essa visão global, acompanhando os resultados individuais e de cada time. O desempenho serve como um termômetro para saber quais treinamentos são necessários, até para a implementação de políticas de feedback, com o objetivo de reconhecer os melhores colaboradores.

Além disso, esse indicador dá ao RH uma ideia de como está o posicionamento da equipe em relação às metas corporativas. É também por meio da avaliação de desempenho que se prevê problemas com outros indicadores, como a retenção de talentos e absenteísmo.

Absenteísmo

Trata-se de um dos mais conhecidos e importantes indicadores de RH. O índice de faltas, justificadas ou não, está ligado a diversos fatores, como clima organizacional, motivação no ambiente de trabalho, condições de segurança e ergonomia, doenças do trabalho, grau de satisfação e assim por diante. Trabalhadores satisfeitos e engajados tendem a faltar menos.

Além disso, o alto índice de absenteísmo representa gastos para a empresa e afeta a produtividade e as relações interpessoais, uma vez que sobrecarrega outros colaboradores, desestimulando-os.

Ao calcular o índice de absenteísmo, levamos em conta a frequência de faltas (F) e o número total de dias ausentes (D). O cálculo dá origem ao fator Bradford — o nome faz referência à University of Bradford, onde foi criado. Esse índice indica o impacto das faltas de um colaborador sobre o desempenho da empresa e dos seus colegas. Um resultado acima de 450 é considerado alto.

Fator Bradford = F x F x D

Vale lembrar que o índice de absenteísmo deve ser mensurado regularmente, sempre de acordo com um período pré-determinado, por exemplo, mensal ou semanal.

Taxa de rotatividade

Também chamado de turnover, é um dos indicadores principais a ser acompanhado pela área de recursos humanos. Trata-se da relação entre o número de funcionários desligados, por vontade própria ou não, e o de funcionários ativos de uma empresa.

A rescisão contratual é um processo altamente dispendioso e demorado, em que a empresa gasta tanto no afastamento do colaborador quanto na contratação de um novo talento. Por isso o acompanhamento da taxa de turnover é fundamental.

O ideal é que essa taxa não ultrapasse 10% e que seja medida periodicamente — mês, trimestre ou ano. No caso de pequenas e médias empresas, recomenda-se avaliar anualmente. A alta rotatividade pode indicar problemas no processo de recrutamento e seleção, bem como uma baixa atratividade em relação à concorrência.

Esse indicador colabora também para que o RH repense suas políticas de gestão de pessoas e para que a empresa economize, reduzindo gastos com demissão e contratação.

Treinamento

O investimento em treinamento é essencial tanto do ponto de vista da retenção de talentos quanto da obtenção de resultados. Após contratar bons profissionais, mais do que critérios financeiros, a realização profissional e o desenvolvimento pessoal são as principais responsáveis por mantê-los na empresa.

Treinamentos elevam a capacidade do time e oferecem novas oportunidades a colaboradores com maior tempo de empresa. No entanto, é importante acompanhar se esse investimento está trazendo um retorno satisfatório.

Existem algumas formas de medir se os treinamentos valem a pena, como análise de performance, avaliações financeiras, cálculo de rotatividade e absenteísmo, pesquisas de clima e redução de problemas — falhas, acidentes de trabalho, entre outros. Também é interessante calcular o investimento por funcionário, dividindo o gasto total em treinamento pelo número de colaboradores da empresa.

Headcount

Esse indicador refere-se ao número total de funcionários de uma empresa, como a tradução do termo sugere: contagem de cabeças. O objetivo é verificar se o número de colaboradores aumentou ou diminuiu nos últimos anos.

O aumento do número de empregados pode significar o crescimento da empresa e sugere que as ações estratégicas trouxeram resultados positivos e o planejamento está no caminho certo.

Retorno sobre investimento (ROI)

A sigla ROI, do inglês Return on Investment, é um indicador muito utilizado em qualquer tipo de negócio. É um parâmetro importante para a empresa como um todo, deve ser considerado em cada departamento, incluindo o Recursos Humanos.

Entre os investimentos que podem ser analisados no departamento, podemos citar treinamentos, contratação de consultorias, ferramentas, sistemas e novas tecnologias. O cálculo do ROI deve ser feito a partir da diferença entre o retorno obtido e o investimento realizado. O resultado deve ser dividido pelo investimento e multiplicado por 100 para obter a porcentagem.

A partir dos resultados é possível traçar novas estratégias, como programas de capacitação, sistemas de gestão, desenvolvimento de talentos e oferecimento de benefícios, além de cortar gastos desnecessários.

Custo per capita de benefícios

Esse indicador indica o investimento feito pela empresa em benefícios corporativos. Afinal, a oferta de benefícios têm impacto sobre a satisfação dos funcionários e, consequentemente, na retenção de talentos e na redução do absenteísmo. Assim, além da remuneração financeira, podemos entender os benefícios como valor agregado ao salário.

Benefícios ajudam a satisfazer os funcionários, que se sentem mais motivados e comprometidos a buscar melhores resultados para a empresa, reduzindo custos e tornando a organização mais produtiva e competitiva.

Medir o custo per capita dos benefícios é interessante para avaliar esse impacto, e o valor médio pode ser comparado ao que é praticado no mercado em geral ou na concorrência direta, por exemplo. Dessa forma, é possível identificar se esse é um fator de evasão de funcionários ou de dificuldade na atração de novos talentos.

Qual é a relação da gestão de saúde na empresa com esses indicadores?

Diante da alta competitividade do mercado, cada vez mais empresas percebem que o diferencial para se destacar está em cada detalhe. No que se refere ao capital humano, de valor ilimitado para a empresa, o cuidado com a saúde e o bem-estar do colaborador tem se mostrado extremamente eficiente no sentido de melhorar índices como produtividade e desempenho.

Isso acontece, principalmente, porque ao investir em promoção de saúde e medicina preventiva — como ginástica laboral e ergonomia visual —, há um impacto positivo em diversos indicadores de RH, como absenteísmo, satisfação e desempenho.

De acordo uma pesquisa do Sesi (Serviço Social da Indústria), realizado com 500 empresas, 43,6% observaram uma melhora de 34,8% na produtividade, e 48% creditam à gestão de saúde a redução do absenteísmo.

Dessa maneira, fica clara a importância do investimento em gestão de saúde na empresa, resultando em redução de gastos e melhora do clima organizacional, do grau de satisfação dos funcionários e da retenção de talentos — todos esses aspectos são relevantes para as métricas de RH.

Mais do que a remuneração, cada vez mais os profissionais valorizam fatores que compõem o que chamamos de salário emocional. Isso inclui um ambiente positivo, plano de carreira, flexibilização de horário, autonomia e, claro, a sensação de ser valorizado e cuidado, resultado imediato de ações de gestão em saúde.

Como vimos são muitas métricas que devem ser acompanhadas, porém, apesar de serem indicadores de RH, seus resultados vão além de mensurar o desempenho desse departamento, fornecendo um panorama da organização como um todo.

Diante do mercado dinâmico em que nos encontramos, é essencial que uma empresa esteja um passo à frente. Monitorar indicadores tem tudo a ver com a capacidade de diagnosticar erros no planejamento, fazendo os ajustes necessários antes mesmo de os resultados ruins acontecerem.

Em tempos de transformação digital, podemos considerar o capital humano como um dos principais ativos de uma empresa. Afinal, são as pessoas que podem enxergar oportunidades e promover inovação a partir das novas tecnologias. Assim, desenvolver o potencial humano dentro da empresa é tão importante quanto investir em máquinas.

Em resumo, podemos dizer que os indicadores de RH servem para orientar a gestão do capital humano, mas eles também oferecem insights sobre o andamento de toda a organização.

Agora que você já sabe como monitorar o desempenho por meio de indicadores de RH, que tal mais um conteúdo para aprender a motivar funcionários? Boa leitura!

Powered by Rock Convert
Visioncard: saiba como utilizar um sistema de gestão de saúde onlinePowered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário