Plano de vacinação Covid-19: Entenda o cronograma!

7 minutos para ler

Há pouco mais de um ano o mundo foi surpreendido pela pandemia do Coronavírus. As duas opções acerca do que poderia minimizar o vírus e acabar com sua circulação foram o isolamento social e a vacina! A boa notícia é que ambas estavam certas. Em 2020, o isolamento social foi o principal meio de prevenção. No ano de 2021, o andamento da vacina foi iniciado e o plano de vacinação do Covid-19 já começou. 

Como a notícia ainda é recente, há muitas dúvidas a respeito: como é a aplicação, qual vacina foi a selecionada, quem pode receber as doses, e vários outros questionamentos. Neste artigo, discorreremos sobre cada uma dessas dúvidas! Continue lendo para entender mais sobre o plano de vacinação! Vamos lá?

Qual a vacina que está sendo aplicada?

A primeira dúvida que muitas pessoas têm é: que vacina é esta que já está sendo aplicada? Afinal, meses atrás várias opções estavam em teste, por isso, muitos ficam em dúvida sobre qual foi a escolhida para aplicação e qual sua procedência. Embora a que já está sendo aplicada nos brasileiros é a CoronaVac, no Brasil, duas vacinas foram aprovadas para uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): 

  • a CoronaVac, que é a vacina desenvolvida pelo laboratório da China, o Sinovac e pelo Instituto Butantan, no Brasil;
  • e a produzida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca;

Há 6 milhões de vacinas da CoronaVac disponíveis para uso. O desenvolvimento dela começou no final de janeiro de 2020 em parceria com alguns centros de pesquisa situados na China. Vários testes pré-clínicos foram realizados e todos se mostraram positivos e promissores. 

Ela passou por três fases de testes, a partir de então ela começou a ser testada em humanos, a fase I foi a que deu início a esse processo. A fase II avaliou a eficácia e segurança da vacina em 8870 profissionais da saúde, entre 18 e 59 anos em seis estados brasileiros, ela foi testada em vários países da América Latina. A fase III foi desenvolvida na Ásia, mais especificamente na Indonésia. Depois de muito estudo, teste e confirmação da eficácia, ela foi liberada para uso emergencial.

A partir de então, o plano de vacinação do Covid-19 começou. No Brasil, teve início em janeiro de 2021, logo no começo, já foi divulgada a informação de que ocorreria uma ordem de vacinação, falaremos sobre isso também. Outra dúvida recorrente é a respeito de como é a aplicação, veremos isso a seguir.

Como é a aplicação da vacina?

A vacina é aplicada por uma equipe de enfermagem especializada e treinada para a aplicação. Há um passo a passo que pode ser seguido, ou seja, não se trata apenas de chegar no local de vacinação, receber a dose e pronto. Os seguintes pontos podem ser seguidos:

  • Caso o paciente ou responsável solicite ver a ampola, ela deve ser mostrada antes da aplicação;
  • Após conferir os dados da vacina, o paciente deve conferir também a data de validade e o lote do produto;
  • A seringa e a agulha devem ser descartáveis e só são abertas na hora da aplicação;
  • Seringas preparadas não devem ser aceitas, a aspiração da dose é feita no momento;
  • O paciente pode exigir que a identificação da vacina e os dados sobre ela sejam escritos na caderneta de vacinação.

Depois de receberem a primeira dose da vacina, os pacientes deverão tomar a segunda dose no intervalo entre 14 e 28 dias. O processo de imunização começa logo na primeira aplicação, no entanto, só a primeira dose não garante imunização completa, por isso a segunda também é importante. 

Quem pode ser vacinado?

Tanto a CoronaVac quanto a vacina de Oxford são seguras e aprovadas pela Anvisa, por isso, podem ser aplicadas na maioria das pessoas, visando à imunização. Ambas podem ser aplicadas em indivíduos com mais de 18 anos. Em alguns casos especiais ainda há ressalvas a respeito da aplicação do vacina.

Um desses casos são as mulheres grávidas e as que são lactantes, ainda não há estudos controlados sobre os imunizantes em mulheres que se enquadram nessas categorias. De qualquer maneira, é importante que elas consultem seus médicos e busquem orientação com algum profissional. 

Outro grupo que deve ficar atento a respeito da vacina, são os que demandam algum cuidado específico, como os que usam anticoagulantes e os que têm alguma doença reumatológica, como lúpus. Isso não significa que esses pacientes não podem ser vacinados, mas sim que devem se atentar e buscar orientação médica.

Há recomendações de que crianças, jovens com menos de 18 anos e pessoas alérgicas não sejam vacinadas ainda, por causa da falta de estudos da vacina com a população pediátrica. Essa restrição está presente tanto na bula da vacina da CoronaVac quanto na de Oxford. Isso não significa que pessoas que se enquadram nesses grupos nunca serão vacinadas, é apenas uma indicação para o momento. Estudos a respeito estão sendo desenvolvidos!  

Em quanto tempo todos devem ser vacinados?

O plano de vacinação do Covid-19 estabeleceu uma ordem de vacinação, afinal, alguns grupos prioritários devem receber a vacina primeiro, pois estão mais expostos ao vírus. O que foi estabelecido é que terão fases, e em cada fase os seguintes grupos serão vacinados: 

  • Primeira fase:  profissionais da área da saúde, pessoas de 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos), idosos a partir dos 75 anos, população indígena, comunidades ribeirinhas e quilombolas;
  • Segunda fase: todos os idosos no geral, de 60 a 74 anos;
  • Terceira fase: pessoas em situação de rua, portadores de comorbidades (como: diabéticos, hipertensos, quem tem doenças pulmonares, renais e cardiovasculares, etc.), profissionais da educação, pessoas com deficiências severas, profissionais da segurança e salvamento, trabalhadores do transporte público e rodoviários de carga e carcerários.

A estimativa do Ministério da Saúde é que todos os brasileiros estejam imunizados apenas em 2022. Mas, ainda não há informações o suficiente para concluir se será precisamente assim. Há muitos fatores externos, como a fabricação das doses, que influenciam na previsão da vacinação de todos. 

Devido ao fato da pandemia ainda estar ocorrendo, muitas informações ainda estão chegando e sendo avaliadas. Recentemente, foi aprovada pela Anvisa a compra de vacinas por empresas privadas, a discussão ainda está em pauta, a previsão é de que realmente esse projeto seja viável. 

De qualquer maneira, é importante que todos tenham em mente que, embora a vacina tenha chegado, a pandemia ainda está acontecendo, o vírus ainda é perigoso. Por isso, o isolamento social deve ser respeitado e mantido até que todos sejam vacinados. 

Todos os cuidados devem ser redobrados. O plano de vacinação do Covid-19 foi desenvolvido pensando no bem de todos os brasileiros, para que em breve possamos voltar às atividades presenciais. Portanto, o que devemos fazer no momento é aguardar e manter os cuidados até que a pandemia acabe. 

Esperamos que este artigo tenha respondido às suas dúvidas! Lembre-se que informação valiosa deve ser passada adiante, então, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.