Saiba como aumentar a retenção de talentos na empresa com estas 10 dicas

12 minutos para ler

As empresas mais competitivas do mercado investem na retenção de talentos porque sabem que essa é uma das práticas mais eficientes para aumentar a produtividade e a qualidade de suas entregas, o que gera diferenciais para o negócio.

Além disso, uma baixa rotatividade de colaboradores ainda traz vários benefícios. Entre eles os tangíveis — como a queda dos custos com novas contratações e rescisões — e os intangíveis, a exemplo da formação de uma marca empregadora consistente.

Ao longo desta leitura trazemos para você como aumentar a retenção de talentos na empresa por meio de 10 dicas práticas. Acompanhe!

Qual a importância da retenção de talentos?

Toda organização é formada por pessoas, e poder contar com o engajamento e comprometimento delas é fundamental para a companhia alcançar os resultados esperados.

Quando uma empresa soma esforços para manter as pessoas, investindo em treinamento e desenvolvimento, qualidade de vida e em um bom clima organizacional, as pessoas passam a reconhecer isso, e como consequência, tendem a se comprometer mais com as suas tarefas, aumentando não só a produtividade, mas a qualidade de suas entregas.

No entanto, todo esse esforço pela retenção de talentos deve começar ainda no processo de recrutamento e seleção, com a contratação dos melhores profissionais.

Uma pesquisa divulgada pela McKinsey revelou que um colaborador com talento superior é até oito vezes (800%) mais produtivo que um funcionário de desempenho médio, a depender da complexidade do trabalho.

Nesse cenário, a retenção de talentos é um forte aliado para manter os melhores profissionais na empresa. Isso porque, esses trabalhadores já conhecem as particularidades do negócio e, quando se desligam da empresa, levam consigo um vasto conhecimento, que demanda treinamento e, principalmente, tempo para ser conquistado.

Assim, a retenção de talentos é o conjunto de iniciativas para manter os colaboradores mais tempo na empresa, com o objetivo de elevar os resultados organizacionais.

Quais os benefícios de ter uma baixa rotatividade de talentos?

Até aqui você já deve ter percebido que a retenção de talentos é primordial para uma eficiente gestão de pessoas. Veja abaixo alguns dos principais benefícios ao investir nessa prática!

Redução de custos

Caso a companhia tenha um alto índice de turnover, isso significa mais custos para o negócio, com recursos que poderiam estar sendo investidos em outras necessidades da empresa, como treinamento e desenvolvimento, ou até mesmo na compra de ferramentas para potencializar a gestão de pessoas. Assim, investir na retenção de talentos é um investimento a longo prazo.

Formação da marca empregadora

Quando uma companhia consegue reter seus funcionários por anos, ela constrói uma boa reputação no mercado, o que favorece a atração dos melhores talentos. Assim, quando ela abre um processo seletivo, ela atrai os mais qualificados profissionais.

Dessa forma, é possível filtrar funcionários talentosos e reter os melhores, já que eles sabem que estão em uma companhia que se importa com a permanência deles.

Mais competitividade

Ao reter os melhores talentos, a empresa começa a ter mais sucesso nas suas entregas, o que auxilia na competitividade do mercado, estabelecendo uma forte presença frente à concorrência. Essa circunstância é extremamente favorável para a imagem da empresa, tornando-se algo positivo, que pode inclusive ser usado em ações de marketing.

Powered by Rock Convert

Como aumentar a retenção de talentos?

Para usufruir de todos os benefícios de retenção de talentos, é preciso ter ações estruturadas. Veja a seguir como fazer!

1. Invista em contratações assertivas

A retenção de talentos começa no processo de seleção dos candidatos. Nesse momento, além de avaliar as competências técnicas, é necessário se ater às habilidades comportamentais e também àquelas fundamentais para o preenchimento do cargo.

Outra questão importante é verificar se o perfil do candidato está alinhado com a cultura da empresa. Para isso, é preciso aplicar ferramentas para validar se o comportamento do candidato tem sinergia com os valores da empresa, e se ele domina as relações necessárias para assumir a função e se relacionar bem com superiores e colegas.

Pode parecer algo trabalhoso, mas você só precisa ter em mãos as informações acima, evitar a pressa e realizar um processo seletivo criterioso e em etapas.

Geralmente, o número dessas etapas vai depender e variar conforme o porte da empresa, o nível de exigência da vaga, e também o nível de concorrência. Nesse caso, tenha em mente que quanto mais pessoas se candidatarem ao cargo, maior deverá ser os filtros de seleção.

No geral, as etapas são as seguintes:

  1. Análise curricular;
  2. Verificação dos conhecimentos técnicos (online ou presencial);
  3. Dinâmicas com os candidatos;
  4. Entrevista pessoal;
  5. Entrevista com o gestor;
  6. Negociação final.

No caso de uma empresa menor, as etapas podem ser reduzidas para 3 ou 4 fases.

2. Mantenha um bom clima organizacional

Manter um bom clima organizacional significa zelar por um ambiente agradável, onde as pessoas se respeitam e tenham interação uma com as outras. Para que isso seja possível, é preciso investir em uma liderança realmente eficaz, que saiba mediar os conflitos e também engajar os profissionais nos objetivos organizacionais.

Além disso, fortalecer a comunicação interna e apostar em ações de endomarketing também são ações fundamentais para ajudar na manutenção de um clima organizacional positivo. O somatório desses esforços é que as pessoas se sentem bem na organização, e tendem a ser menos insatisfeitas e mais motivadas.

3. Preocupe-se com o bem-estar do funcionário

Proporcionar o bem-estar no trabalho tem sido uma preocupação constante para as empresas. Isso porque, funcionários que se sentem bem em seu local de trabalho faltam menos e também não buscam oportunidades fora da organização, o que contribui de forma efetiva para a retenção de talentos.

4. Incentive a prática de esportes e outros hobbies

O incentivo à qualidade de vida, principalmente com convênios em academias e clubes — além de manter um espaço interno para a socialização e convivência dos funcionários — é fundamental para conquistar a confiança e a preferência dos colaboradores na hora de escolher uma empresa para se trabalhar, e também se manter nela.

Ademais, essas ações ajudam a melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores, elevando também a saúde deles.

5. Ofereça treinamentos e desenvolvimento pessoal

Quando a empresa investe na capacitação de seus colaboradores, eles se sentem gratos e as chances de procurarem oportunidades fora da empresa diminuem. Outro ganho é que, ao oferecer treinamento e desenvolvimento de pessoal, a organização colabora para manter a equipe atualizada, contribuindo para uma maior eficiência dos processos, o que resulta em melhores entregas.

6. Mantenha uma comunicação não violenta

Uma comunicação não violenta é aquela em que se estabelece a empatia com os interlocutores, a fim de ter uma abordagem mais eficiente. Com isso, é possível usar de argumentos sólidos a fim de sensibilizar o outro, mas sem que para isso seja necessário usar de palavras rudes e de baixo calão.

Isso pode ser um desafio, principalmente para as lideranças, que têm de lidar com muita pressão de forma diária. Mas, com argumentos e inteligência emocional, é possível se chegar a um discurso alinhado com os objetivos organizacionais e que, de fato, sensibilize os colaboradores para os resultados esperados.

Com isso, os funcionários tendem a se sentir mais valorizados, e isso também ajuda a elevar o bem-estar geral e a manutenção de um clima organizacional positivo, aumentado as chances do colaborador permanecer na companhia.

7.  Construa uma cultura de feedback

O retorno da informação, o chamado feedback, de forma prática, significa comunicar os colaboradores acerca de seus acertos e pontos de melhoria.

O objetivo é alinhar a equipe e conquistar os comportamentos desejados, além de motivar que as pessoas assumam as posturas esperadas pela organização. Quando a empresa está esforçada na prática de feedbacks, ela demonstra para seus empregados que se importa com eles e que realmente deseja o seu crescimento.

O feedback deve ser fornecido de acordo com cada situação, levando em consideração o público da empresa e também a cultura organizacional na qual a companhia está inserida.

No entanto, é fundamental ser claro ao longo do processo, sendo coerente e evitando um linguajar técnico demais ou rodeios que possam distrair a atenção do colaborador para o que está sendo pretendido comunicar.

É necessário apostar em uma comunicação clara, concisa e direta, a fim de conquistar a compreensão de cada profissional que recebe o feedback.

Ademais, é sempre válido realizar esse processo de modo particular, mesmo quando se trata de um elogio. Isso garante que o restante da equipe não pense em favoritismo ou circunstâncias que possam causar algum tipo de constrangimento público para o profissional.

8. Controlar os níveis de estresse das equipes

Com a competitividade dos mercados e as equipes cada vez mais enxutas, o estresse tem se tornado uma presença constante dentro das organizações. Soma-se a isso o deslocamento de grandes distâncias para chegar ao trabalho, o trânsito e uma rotina intensa no escritório, que pode chegar a 9 horas diárias.

Para combater o estresse — que pode dar origem a outras doenças, como depressão e Síndrome de Burnout — é preciso investir, mais uma vez, na manutenção do clima organizacional, em iniciativas de qualidade de vida, e também rever a rotina de trabalho.

Muitas empresas já oferecem a seus colaboradores a opção de trabalho home office pelo menos de duas a três vezes na semana. Com isso, elevam a qualidade de vida desses colaboradores, além de reduzir custos com estrutura, a exemplo dos gastos com água, luz, telefone e outros recursos da empresa.

9. Promova a colaboração interna entre os times

A competitividade entre pares no trabalho pode causar grandes transtornos para o clima organizacional, prejudicando a harmonia da equipe e, como consequência, a queda da produtividade.

Nesse sentido, apostar em ações para elevar a colaboração entre as equipes é fundamental. As ações de endomarketing, orientadas pelo setor de Recursos Humanos, são importantes ferramentas para alcançar esse objetivo.

São exemplos de eventos que podem favorecer a colaboração dos profissionais a gamificação de processos, com a implementação de jogos entre equipes, campanhas com objetivos definidos, reuniões face a face, entre outros.

Para que os processos de gamificação tenham os resultados desejados, é fundamental fazer um rodízio entre as equipes. Com isso, todos são forçados a trabalhar para alcançar objetivos comuns, favorecendo a colaboração mútua.

10. Melhora no processo interno de comunicação

Muitas questões que impedem uma boa retenção de talentos poderiam ser evitadas com uma comunicação eficiente, principalmente entre liderança e liderados. Por isso, incentivar o diálogo dentro da empresa é primordial para o sucesso na retenção.

A comunicação torna possível o alinhamento das expectativas, e com isso fica mais fácil as partes envolvidas executarem as suas atividades com mais facilidade e qualidade. Outro ganho quando se investe em uma boa comunicação é a melhora do clima organizacional no trabalho.

Para tanto, é possível contar com um setor de comunicação para dar suporte às ações de comunicação da empresa, com a alimentação de veículos como jornais, murais, rede social interna, reunião face a face, entre outros.

É importante ressaltar que, para uma comunicação eficiente, é preciso contar com o comprometimento da alta liderança da empresa. Sem isso não é possível compartilhar as informações que sensibilizarão os colaboradores de maneira mais efetiva.

Os demais líderes devem ser preparados para entenderem a importância da comunicação corporativa como aliada nos desafios do negócio.

Com uma comunicação transparente, aberta e integrada com os objetivos organizacionais, as chances de sensibilizar os colaboradores sobre tudo o que é feito na organização é bem maior.

Como resultado, temos a elevação da taxa de retenção de talentos, pois os colaboradores saberão os rumos da organização e como o trabalho deles faz a diferença para os resultados almejados.

Por que a gestão da saúde é importante para garantir menor rotatividade?

Empresas são feitas por pessoas. Se elas não estão aptas para fazer as suas melhores entregas, isso implica em uma série de consequências para o negócio, sendo a mais evidente o afastamento de colaboradores do trabalho.

Quando isso acontece, a empresa se vê obrigada a contratar uma mão de obra para substituir a do colaborador afastado. Mas não é só isso: quando o funcionário adoece na empresa, é sinal de que existem falhas não observadas, como sobrecarga de trabalho, rotinas e processos mal planejados, que também colaboram para a elevação da taxa de rotatividade.

Assim, é preciso voltar o olhar para dentro da organização, mapeando processos a fim de se chegar a soluções de bem-estar e qualidade de vida, com soluções que realmente podem contribuir para que esses profissionais se mantenham sadios em seus postos de trabalho.

Ademais, empresas que apostam na qualidade de vida de seus funcionários são reconhecidas por isso, tornando-se marcas empregadoras. Como consequência, conseguem atrair e manter os melhores talentos do mercado.

Como vimos ao longo desta leitura, a retenção de talentos demanda uma série de esforços da organização, mas que são recompensados com funcionários mais motivados e engajados em suas entregas. Além disso, a retenção de talentos ainda ajuda a elevar a produtividade e a qualidade dos produtos e serviços.

Se você gostou deste artigo sobre como aumentar a retenção de talentos na empresa, confira também este sobre os benefícios da ginástica laboral.

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário