Síndrome do jaleco branco: o que é e como mantê-la sob controle!

4 minutos para ler

Alguns transtornos psicológicos geram sintomas físicos nas pessoas. A ansiedade, por exemplo, pode prejudicar o sono, provocar dores de cabeça, tremores e levar à baixa imunidade. Mas não é só ela. Existe uma doença, chamada síndrome do jaleco branco, que é comum entre as crianças e pode causar uma série de problemas, tendo a hipertensão pontual como principal consequência.

Neste artigo, vamos detalhar mais sobre essa síndrome, seus sintomas e como tratá-la. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

O que é a síndrome do jaleco branco e quais são seus principais sintomas?

A síndrome do jaleco branco é conhecida por ser um tipo de transtorno psicológico na qual a pessoa tem um aumento da pressão arterial quando exposta a um atendimento médico. Em outras situações, no entanto, a pressão arterial dessa pessoa é normal.

Outros sintomas comuns a essa síndrome são:

  • tremores;
  • tensão muscular;
  • crise de ansiedade;
  • náuseas;
  • agitação.

Vale lembrar que, para ser considerada síndrome do jaleco branco, é necessário que a pressão arterial da pessoa esteja acima de 140/90 mmHg durante a consulta e isso aconteça pelo menos em três vezes seguidas.

Quais são as principais causas e por que a síndrome do jaleco branco ocorre?

Quem não sente uma certa tensão ao ir ao médico ou dentista? Isso é comum, mas quando essa tensão começa a causar sintomas físicos mais acentuados, é hora de ligar um alerta. As principais causas da síndrome do jaleco branco estão associadas à imagem do médico ou mesmo do ambiente hospitalar, a doenças e até mesmo à morte.

Um aspecto que também pode levar ao desenvolvimento dessa comorbidade é a preocupação excessiva de visitar o médico, mesmo sem que haja previsão para isso. Outras fobias, como a hipocondria e até a anosofobia (que é o medo irracional de ter alguma doença) podem piorar a situação.

Com isso, a pessoa cria uma resistência em relação ao profissional de saúde e ao ambiente que ele ocupa, seja um consultório, seja um hospital. A síndrome pode se desenvolver ao longo da vida, em função da divulgação de notícias a respeito de erros cometidos por médicos e até mesmo pela demora no atendimento em um espaço pouco acolhedor.

O grupo mais afetado é o das crianças, mas isso também pode ocorrer na idade adulta, especialmente com idosos.

Como controlá-la?

Dependendo do nível do medo do paciente, pode não ser tão fácil tratar a síndrome, embora seja possível. O ideal é procurar terapeutas e psicólogos pessoalmente, mas como a síndrome pode atingir também o relacionamento com esses profissionais, vale a pena buscar serviços online ou mesmo por telefone, a fim de reduzir a ansiedade.

Outra opção é ter esse contato em ambientes mais confortáveis, como casas que são colocadas como centros de atenção à saúde. Os médicos também podem evitar o uso de vestuário característico e aparato médico no caso do atendimento de uma pessoa diagnosticada com a síndrome. A terapia cognitivo-comportamental e até mesmo a hipnose são apostas para reduzir a síndrome.

Uma dica final é que o profissional da saúde dê uma atenção especial quando notar indícios do transtorno, assim, ele pode não evoluir para algo mais grave, como a síndrome do pânico. A síndrome do jaleco branco pode ser tratada de maneira eficaz quando identificada precocemente.

Agora que você sabe mais sobre o assunto, compartilhe este post nas redes sociais para que outras pessoas tenham acesso às informações listadas aqui!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.